quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Super - Levemente superior á Kick-Ass

Aqui Rainn Wilson de The Office (Dwight) é um atormentado rapaz que não aceita a separação de sua esposa pelo traficante Jacques , interpretado por Kevin Bacon(zitos) . A não aceitação de Frank Darbo , e a ruína de esposa nas drogas o leva á criar um alter-ego para combater o crime e pegar sua esposa de volta

   

Aqui neste filme Rainn Wilson lembra muito , mas muito Dwight de The Office , mas isso não me incomodou , pois gosto bastante do personagem . É como se estivaremos assistindo The Office numa versão sombria onde Dwight fez mais do que falar ,e foi pra ação .
O Filme começa com Frank listando seus melhores momentos da vida ,  que são apenas dois . Nisso dae você já percebe que o protagonista sofre de depressão e sua esposa , Sarah ( Liv Tyler) não ajuda muito , pois claramente no começo do filme já há um desgosto por ela , pois você percebe os esforços de Frank pra fazê-la feliz , e da parte dela nem um pouco de compaixão pelo esforço dele . Como Sarah é envolvida nas drogas , ela tem um certo envolvimento com Jacques que vai chama-lá em sua casa e acaba conversando com Frank . Claramente , Frank não percebe que algo está acontecendo entre ele e sua esposa  , pois deve ser um problema psicológico do personagem . Logo depois sua esposa o deixa , e ele vai em busca dela , e por ser muito inocente Frank acha que Jacques é seu amigo e pergunta sobre o paradeiro de sua esposa . Feito isso Frank se encontra sozinho e faz o que qualquer ser humano em algum momento baixo de sua vida faria , que é recorrer á Deus . Não sei se é algum problema do personagem ou sei lá , mas em certo momento ele está assistindo á um canal evangélico ( eu acho ) e vê ali uma oportunidade de fazer tudo dar certo em sua vida . Isso lembra um pouco o velho testamento da biblia , onde era citado que Deus pedia aos seus escolhidos para fazerem o que lhes era designado , e é nisso do que o filme se aproveita . Das escolhas em que pessoas fazem se seguirem Deus á risca , sem questionar a moralidade que há por trás disso . Como é um filme bem curto , o desenvolvimento é um pouco rápido , mas que permite que você tenha uma ligação com os personagens apresentados . Ellen Page é Libby . Uma vendedora nas lojas de quadrinhos , que conhece Frank , em sua busca por inspiração pra combater o crime no nome de Deus . Ellen page é uma ótima atriz , mas ela tem o pecado de ser quase igual em todos os filmes ,e isso acaba você achar que está vendo mias do mesmo em outros filmes . É como se fosse a mesma personagem em diferentes filmes , mas nada que atrapalhe o seguimento da trama . Libby é uma ótima personagem que faz você gostar ainda mais de Frank , pois sua busca por justiça sozinho não iria muito longe , e Libby estaria lá pra salva-lo . Está certo que nenhum dos dois é preparado pra tamanha confusão que acontece nas suas tentativas de parar o crime , mas esse é o interessante do filme . A Busca de si mesmo . E é levantada novamente a questão que deu pé pra Kick-Ass . Por que ninguem se torna um herói e sai por ai evitando o crime ? Levanta a questão até mesmo para o mundo real . Será que existem heróis de verdade que tentam de sua maneira a justiça ? Como eu disse é um filme muito rápido , e não permite muitas falhas de roteiro , ou longevidade nas construções de desenvolvimento de personagem . Há alguns flashbacks durante o filme pra mostrar o início do conturbado relacionamento de Frank e Sarah , e te faz gostar ainda menos dela , pois não passa de uma vadia que você quer que se dê mal . É um daqueles filmes que você torce pro personagem se acordar e tomar outro rumo diferente , que faz você falar com a TV e se perguntar porque diabos ele está fazendo aquilo . Por que ele é superior á Kick-Ass ? Pois aqui sim é uma realidade aceitável . Não que a do Kick-Ass não aceita ,mas lá é levado um pouco mais pra ficção e aqui em Super é um choque de realidade , e é claramente mais sombrio que Kick-Ass , pois aqui você lida com um protagonista conturbado e com sérios problemas mesmo , não um adolescente que decide ir se aventurar no mundo contra o crime . Crimsom Bol ( Frank) não é um herói e sim alguem que quer justiça absoluta no mundo . Exemplo a cena em que ele dá um golpe de chave inglesa na cabeça de um cara por furar a fila . Nesses vai e vem de Frank tentar pegar Sarah de volta , Frank acaba tirando os capangas de Jacques do sério , o fazendo mandarem ir eliminar ele de uma vez . Ele não é muito aceito pela população , pois seus métodos de justiça são muito extremistas . Por ser um cara muito extremista e não ser perito em esconder seus atos , ele começa a ser investigado pela policia e é aqui que vejo uma grande evolução da trama , deixando de ser uma comédia pra algo bem mais sério , pois o detetive John acaba entrando em sua casa para investigar a sua vida , até que os traficantes acabam confundindo ele com Frank e aqui sim , vemos que o circo vai pegar fogo. Libby tambem vira uma "heroína" de começo apenas pra se vingar de um cara que nunca ligou de volta pra ela . E assim se cria um vínculo entre Frank e Libby , pois os dois têm problemas , mas Libby aceita Frank como seu mentor pois ela vê nele um homem determinado e talvez um pouco de atração sexual . Depois de tudo em que ele e Libby têm passado juntos Frank ainda não aceita a separação , até que Libby o obriga a fazer sexo com ele , e temos uma cena de estupro inverso e essas coisas . Depois disso nos encaminhamos pro final do filme , onde é a ultima chance de Frank pra pegar Sarah de volta , só que ele não contava que Jacques estaria fazendo uma transação de drogas em sua casa . As cenas finais são fantasticas , exceto pela forçação de amizade do Stealth de Libby e Frank , deixando claro que aquilo era um filme de dramédia no final de tudo . Se fosse um pouquinho mais sério o Stealth dos dois seria um final muito fodastico , mas nada que atrapalhe muito tambem . Depois de Frank e Libby se inspirarem em heróis que não têm poderes eles estão "treinados" , mas o grande pecado disso é não ter mostrado a evolução dos dois nesses treinos , deixando uma icógnita de o quanto será que treinaram pra invadir a casa de Jacques . Ponto falho , mas deixa pra lá , pois o filme está no final e a ação não para . Libby é baleada na cabeça , deixando só os miolinhos pra fora ,e ai vemos a evolução de Frank . O que eu mais gosto em filmes é que quando os personagens são mortos de forma simples , como se tivesse sido qualquer outro , pois na guerra , não pode haver cenas especiais pra todos em que morrem , e assim deveria ser em todos os filmes . Sem drama e sim fazer o telespectador engolir a morte , pois ela pega a todos ,e não precisa de drama pra deixar ainda mais triste ,forçando a audiência se importar com a morte dela . Morreu , Morreu . Ponto final , sem drama . Ali o diretor deixa todo o peso e vingança na costas de Frank , pois é ali que ele percebe que sem querer se apaixonou por Libby . Vemos ali uma evolução de Frank do início do Frank do fim , que está muito mais determinado e sombrio e violento . Temos uma cena final legal . Poderia ser sido melhor com Frank mais violento , pois Jacques o atormentou bastante . Mas né . o Filme é curto . Depois disso , Frank recupera Sarah , que acaba se curando das drogas, e tem um breve relacionamento com Frank mas não da certo , pois , ela não gostava dele . Conformado dessa vez , Frank deixa Sarah ir , mostrando novamente o amadurecimento forçado dele em meio á tanta coisa que ocorreu . Num dialogo final onde mostra que Frank aceita sua nova vida e se sente feliz por Sarah ter construído uma nova vida com um novo cara e ter tido filhos , que consideram Frank como um tio . Aqui o diretor transferiu uma visão de que sua vida estava pior do que antes , mas não nos seus olhos . Pois pra mim não tem nada pior que os filhos de sua ex-mulher lhe chamar de tio ,e ela te considerar um amigo . Sei lá , pode ser só eu , mas ali mostra em tudo que deu errado , de tão solitário que ele havia ficado , acabou adotando um coelho , e a camera mostra um close final em sua parede com os melhores momentos de sua vida , que no inicio eram dois , e acabou que naquela confusão e tristeza toda em que se meteu , Libby era a que mais valia a pena se recordar , e de que não deveria ter deixado ela ir embora . Um final feliz e meio triste , pois mostra a solidão pro telespectador e a redenção na visão do olhos de Frank . Deixando um ar de pena , ou alegria  que cabe a você decidir no que acha melhor pra ele.  Esse filme claramente merecia uma continuação , sei lá . Mas infelizmente eu acho que não vai receber pois a audiência em sua época de lançamento estava com os olhos em Kick-Ass . Mas é um filme claramente memorável .

Nenhum comentário: