terça-feira, 4 de março de 2014

Impostos no Brasil: uma In(justiça)?

Para começar, quero deixar claro que não explicarei com detalhe cada tipo de imposto, pois ficaria extenso. Apenas quero conscientizá-los sobre nossa situação. E sim, eu sei que foge um pouco do tema do blog, mas voa lá.

Eis a questão: pra onde tanto dinheiro arrecadado vai? Já que temos a quinta maior economia do mundo, cadê o nosso retorno? Cadê as estradas bem asfaltadas, já que pagamos um pedágio tão caro? É o mesmo que você emprestar dinheiro e não ser pago de volta. Nós deveríamos começar ao menos a cobrar nossos direitos, já que na hora de cobrar impostos o governo nem sequer hesita!

Vejamos: o Brasil tem uma das mais elevadas taxas, como no PIB. Como o PIB funciona: é, basicamente, tudo que se produz dentro do país.
Supondo que tu crie uma peça de roupa e a venda por R$30,00. Porém, não foi tu quem criou as linhas, tecidos, etc. ou seja, os adquiriu na indústria, somando um gasto de R$25,00. Tua contribuição pro PIB seria de R$5,00. Assim, calculamos o PIB. Mas pra quê serve? Pra calcular a riqueza do país. E, a partir daí, calcula-se qual o valor estimado de contribuição. Porém, no Brasil, sua taxa é de 37%.
Vejamos o imposto de renda (IR); ele é calculado a partir da tua renda, claro. Supondo que tu tenha uma empresa com renda de R$20.000,00 mensais, pagará uma porcentagem a partir daí. Por isso algumas empresas grandes abrem suas filiais em outros nomes, assim, pagando uma porcentagem menor.

O ICMS: aquele que faz os produtos ficarem bem caros no Brasil. Seu nome é: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. Supondo que a empresa vá te vender um computador, obviamente não é ela quem fabrica. Ou seja, ela manda pro fornecedor, o fornecedor compra a matéria prima e a produz, isso vai gerando imposto sobre imposto que, no final das contas, é ressarcido sobre ti, na hora das vendas. Vale lembrar que PIS e COFINS também entram nessa história, e que uma empresa não apenas compraria um computador, e sim um estoque, tendo assim que distribuir os juros de forma justa à cada peça comprada em uma Ordem de Compra.

Eu, por exemplo, trabalho no setor de compras, e vejo que numa compra de R$20.000,00 vai mais de R$2.000,00 só em impostos. Isso que esse produto já é vendido pra nós (pessoa jurídica) com impostos em cima, pois o fornecedor precisou comprar a matéria prima já com juros, para poder criar o produto.



O IPVA: Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotivos. Aquele sobre o carro, que pagamos todo ano para poder ter os documentos do carro em dia. Por que temos que pagar pra ter algo que já possuímos? É injusto, não é?

Ouvi algo que achei realmente terrível, mas faz muito sentido. Por exemplo, pro governo sai muito mais barato deixar que o povo invada uma terra desapropriada. Os invasores constroem seus lares e depois o governo vai em cima cobrar impostos para eles "possuírem" as terras. Penso que é tudo tão ilusório, que a força do governo se baseia em cabeças fracas. Mas como deixar de viver sem os produtos que o capitalismo oferece? Simplesmente impossível, pois já nos acostumamos à tais ideias.
Hoje em dia o governo cobra tua água, teu carro, tua casa, tua energia. Mas como isso? Como podem cobrar a água, um elemento da natureza? Pois é, olhem suas contas de água, ou pra tomar uma boa água (mineral). Conscientizasse sobre teus gastos, sobre tuas economias, para assim mudar o lugar de onde vêm, ao invés de renegar as tuas origens. Aprenda a ter orgulho do teu povo, pois história é o que não falta. Ela está ali, vá estudá-la, vá aprender sobre toda a sujeira que está varrida para debaixo do tapete, pois falta de informação é o que não há!

Nenhum comentário: